segunda-feira, 9 de março de 2009

QUASE

Quase que queda
que quebra quartzo.
Quase qual quadra
quadrada que nada,
imperfeita.

Quase que quara.
Querosene que queima
quase que quente.
Quebranto, queimada
indecente.

Quase quizila, querela,
qual queixa qualquer.
Quase que cospe
quiçá o querer
indefeso.

Quase que quarta,
quarenta, quaresma.
Quase querida
castiga, quieta,
inerte.

Quase que acalma
qual química, quinino, cafuné.
Quase querubim, quimera, Quixote.
Quinhão em que não caiba qualquer
iniqüidade.

Quase que coisa quando concreto.
Quisto, queloide, coágulo.
Quase cansado, caquético.
Concha, casulo, cápsula
incarcerada.

Quase que caos
como quando catástrofe.
Quase carcaça carbonizada,
conclusa, inconteste,
incinerada.

Quase conforme
confirma o contrário.
Quase chacota, chacoalha
questão que calha
encravada.

Quase que tudo.
Quase que nada.

2 comentários:

aluisio martins disse...

quase que desço no mundo do porvir. Por vir cá, quase me entrego e desisto de mim. Mas quase é estado dos sábios que conhecem o caminho mais difícil - o do meio. E sou um poeta quase perdido que quase me acho, quase...

Ana Hime. disse...

Belo blog.