sábado, 6 de dezembro de 2008

CADÊ O SOL?

Calvin, meu amigo Calvin. Que dia chato! Mais um. Nem o sol por aqui deu o ar de sua graça. Escondeu-se atrás das nuvens. Bom, mas estava lá.
Algumas coisas são assim, estão ali em algum lugar sem que possamos vê-las e é por isso que muita gente diz (eu acho) que sente saudades de alguém que nem conhece ou falta de algo que não tem.
Explicado, mas nem por isso menos chato este dia. E veja que não é domingo, dia de estourar plástico bolha. É sábado, dia de praia, dia de sol, mas cadê o sol?

Um comentário:

Calvin e Seus Diálogos disse...

Um dia observamos a ausência do sol, em outros, reparamos nossa sombra que insiste em nos acompanhar.
O que nos cobre a cabeça tem a cor azul; azul profundo; azul infinito... como deveriam ser os nossos sonhos, ou não.
Que a brisa leve até você o frescor de um firme aperto de mãos.